sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Santos comemora aniversário com um dos maiores instrumentistas do Brasil

O bandolinista Hamilton de Holanda se apresenta na sexta-feira, dia 28, às 20 horas, no Teatro Municipal. O músico será acompanhado por Daniel Santiago na guitarra e André Vasconcellos no baixo. A Realização é da Secretaria de Cultura e Clube do Choro de Santos. A produção é do Mannish Blog


Ele tem grande afinidade com a turma do choro, os sambistas não cansam de convidá-lo para suas rodas e os jazzistas enlouquecem com seus improvisos, mas a verdade é que sua música transcende as classificações. Músico extraordinário, Hamilton de Holanda é considerado um dos maiores instrumentistas do Brasil em todos esses gêneros.
Também é considerado unanimidade entre os grandes nomes da MPB e da música internacional, tendo tocado com João Bosco, Beth Carvalho, Maria Bethânia, Ivan Lins, Djavan, Richard Bona, Cesaria Evora e até John Paul Jones, ele mesmo, o baixista do Led Zeppelin.
A maior parte do ano, o músico viaja pelo mundo divulgando a verdadeira música brasileira, passando a maior parte de seu tempo em aviões e em quartos de hotel do que em sua própria casa. Tanto é verdade que essa situação rendeu algumas gravações que geraram o CD Íntimo, cujas faixas foram registradas em um gravador portátil entre uma locação e outra.
Hamilton não para de gravar, entre Destroçando a Macaxeira (1997) até Contínua Amizade (2007), são quinze Cds lançados. Agora, Hamilton vem a Santos para lançar seu mais recente trabalho, o CD Esperança, homenagem a dois grandes nomes da música instrumental brasileira e duas grandes influências: Hermeto Pascoal e Egberto Gismonti.
Biografia - Começou a tocar aos 5 anos e anos depois, ao adicionar duas cordas extras, 10 no total, reinventa o bandolim mundial e liberta o emblemático instrumento brasileiro do legado de algumas de suas influências e gêneros. Nos EUA a imprensa logo o rotulou de “Jimmy Hendrix do bandolim”.
Aos 34 anos, identifica-se nos solos deste brasiliense nascido no Rio de Janeiro, a assinatura Hamilton de Holanda. Sua maneira de tocar, o aumento do número de cordas e decibéis, aliados à velocidade de solos e improvisos, inspira uma nova geração e um novo som. Se é jazz, samba, rock, pop, lundu ou choro, não importa.
O Choro, que na infância e adolescência era a sua influência maior, a despeito dos puristas, transforma em mais uma das suas referências. “Me perguntam se o que faço é o novo Choro. Novo Choro? Não entendo, deve ser talvez porque toco bandolim. O Choro é que nem a Monaliza. Você acha que ela precisa de retoques? Não ! O choro também é assim, está eternizado pela arte maravilhosa de músicos como Luperce, Jacob e Pixinguinha. Perpetuada a tradição, não se precisa de mais nada, apenas apreciar. O que eu faço, na verdade, é uma síntese dessas informações com influência do Choro, Bossa, Jazz, Rock, Som da Cotidiano…É uma música que não precisa de rótulos para existir, mas precisa sim é ser bela.” diz Hamilton.
Em sua trajetória consta o prêmio de melhor instrumentista por unanimidade, na edição única nas duas categorias - erudito e popular, do Icatu Hartford de Artes 2001, permitindo-lhe viver em Paris por um período de um ano, dando asas internacionais ao seu trabalho.
Conquistou com “1 byte 10 cordas”, primeiro CD de bandolim de 10 cordas solo do mundo, o restrito título CHOC da mais importante publicação européia de música “Le Monde de la Musique”. Hamilton carinhosamente recebeu da imprensa francesa o título de "Príncipe do Bandolim", da Brasileira – Revista Bravo – “Rei” e de nomes como Hermeto, Maria Bethania, Djavan, Ivan Lins e João Bosco, citações como "Um dos melhores músicos do mundo".
Fez os shows oficiais da abertura das comemorações do ano do Brasil na França; da cerimônia de abertura dos jogos para-panamericanos, da abertura oficial do centenário da imigração japonesa no Brasil e da festa de gala do lançamento da campanha RIO2016 para sede das Olimpiadas. Foi duas vezes indicado para o Latin Grammy em 2007/2008 como: melhor disco instrumental “Brasilianos” e melhor album de jazz “Brasilianos 2”. O Hamilton de Holanda Quinteto também foi consagrado pelo prêmio TIM e Revista Jazz+ como o melhor grupo e Hamilton de Holanda o melhor performer.

Realização: Secretaria de Cultura de Santos e Clube do Choro
Produção: Mannish Blog

Serviço:
Hamilton de Holanda Trio
Local: Teatro Municipal de Santos
Data: sexta-feira, 28 de janeiro
Horário: 20 horas
Endereço: Av. Pinheiro Machado, 48
Preço: Grátis
OBS: os ingressos devem ser retirados uma hora antes do espetáculo

2 comentários:

  1. O Hamilton de Holanda é o cara, Dayane.
    Sabia que a galera ia gostar.

    ResponderExcluir